A Sustainable Society Initiative, ou SSI, estreante da seção Construindo Futuros Coletivos compartilha de algumas características semelhantes com a 4D Sustainability Canvas. As mais óbvias são o idioma e o continente, considerando nossas duas sedes: Brasil e Reino Unido. Mas, além disso, e principalmente, a crença de que os negócios representam uma força de mudança poderosa para resolver os problemas socioambientais da atualidade.

Sustainable Society Initiative Logo

Quem nos conta um pouco mais sobre a empresa, uma consultoria estratégica em sustentabilidade que nasceu dentro de uma das maiores agências de comunicação de Portugal, é Charlotte Mure-Ravaud, francesa, que já viajou o mundo e que desde o início do ano é strategy manager da SSI.

Para começar Charlotte, quem é você e qual seu papel na Sustainable Society Initiative?

Formada como engenheira em energias renováveis, tive a oportunidade de trabalhar no Chile na ENGIE – uma experiência que foi muito gratificante, com a liderança inspiradora e inovadora de Isabelle Kocher!

Charlotte Mure-Ravaud

Mas, sendo apaixonada pelas ciências sociais e pela criatividade, fui trabalhar como strategic planner na agência BBDO Chile. Pude então estudar as questões de Responsabilidade Social Corporativa, que gostei muito, o que me permitiu descobrir o conceito de marcas positivas. Estive envolvida em vários projetos para moldar ou destacar as razões de ser das empresas, e essa abordagem estava mais em consonância com o significado que queria dar à minha vida profissional.

Finalmente, voltei à Europa há mais de um ano, e trabalho agora em Portugal na Sustainable Society Initiative. No início do ano, fui promovida strategy manager e, desde então, acompanho a reestruturação e o reforço do posicionamento da agência dentro da sustentabilidade. Nesse sentido, meu papel tem sido ajudar no desenho de uma nova gama de serviços para apoiar as organizações a construírem marcas-símbolo de mudança positiva..

Sobre a SSI, então, quais são os principais serviços oferecidos pela empresa? Para quem? E onde?

A Sustainable Society Initiative (SSI) se posiciona como um verdadeiro parceiro estratégico para o sector público e privado em Portugal.

Somos uma consultora estratégica em sustentabilidade que visa transformar o propósito das organizações e acelerar o seu processo de transformação através da sustentabilidade alinhada com estratégias de comunicação, abordagens e metodologias únicas que traduzem conhecimento em resultados reais com impacto positivo do negócio. Temos apostado cada vez mais na inovação social por meio de projetos multistakeholder para catalisarmos e promovermos a sustentabilidade.

Nesta perspetiva, a SSI cria estratégias e constrói reputação para organizações com propósito, comprometidas e alinhadas com a Agenda 2030, desenvolvendo uma plataforma relacional que integra uma gama completa de serviços:

·   Análise de tendências sobre os novos padrões de comportamento e as mudanças socioambientais por setor de atividade;

·   Projetos de consultoria para reforçar o propósito das organizações, e estruturar um plano de ação para traduzi-lo no dia a dia;

·   Comunicação (tornamos as marcas agentes de mudança e influenciadoras).

Nosso desafio está justamente em transformar metas globais – os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – em metas de negócios, incorporando o fator socioambiental em qualquer equação.

Uma das nossas principais ambições é criar a primeira comunidade de Positive Brands – ou seja, marcas com propósito – em Portugal. Neste sentido, estamos construindo um espaço de partilha, debate e cooperação para implementação de ações com valor agregado para as marcas e os seus consumidores. Mas queremos ir além e implementar um barómetro de tendências que apoie outras marcas no desenho de estratégias eficazes e sustentáveis, em tempos de incerteza e transformação.  

Falando sobre incerteza e transformação, aproveito para te perguntar: qual é a visão de futuro que vocês almejam? Que tipo de futuro vocês desejam construir?

Perante a pandemia do coronavírus, a crise climática, a perda da biodiversidade… o futuro como o imaginávamos pode não acontecer. No entanto, é possível passar do medo à aceitação, e assim escrever uma nova história que tenha mais sentido, isto a partir de uma perspectiva socioambiental. Podemos interpretar o que estamos a viver como um verdadeiro desafio para considerar ou reinventar uma nova narrativa coletiva, e assim, alcançar horizontes mais serenos.

Neste sentido, no nível pessoal, cada um de nós deverá questionar-se sobre o mundo que deseja. Já coletivamente, será necessário encontrar uma nova forma de viver em comunidade, rejeitando uma sobrevivência individualista e nefasta. Esta crise pode ser o início de um novo ciclo de esperança, baseado na compaixão, altruísmo, solidariedade, inclusão…

Do nosso lado, queremos ajudar a reimaginar o futuro dos nossos parceiros e a narrativa coletiva nos assuntos importantes para a sociedade, em consonância com os valores e as necessidades estratégicas das organizações.

Como você acha que o coletivismo e a colaboração podem ajudar dentro desse propósito/missão?

Defendemos a ideia de uma sociedade sustentável, equilibrada e integrada – que se apoia na sensibilização dos diferentes atores para a adoção de comportamentos mais inclusivos e solidários.

Nesta perspectiva, procuramos “instrumentos” para reforçar a cooperação entre os diferentes atores econômicos na resposta às necessidades socioambientais mais urgentes do nosso tempo. O coletivismo pode, portanto, ser um pivô e um prisma na construção de uma rede de atores que atuam juntos para a implementação de um novo desenvolvimento socioeconômico dentro de uma escala local e também global.

Ao criar conexão humana e discussão em torno da ação consciente, – o mutualismo, o coletivismo, a cooperação… Tudo isso nos ajuda a fomentar laços sociais e transmitir os melhores valores, como a promoção de uma economia sustentável e um desenvolvimento comprometido com a natureza e as pessoas.

Qual maior desafio de vocês hoje?

Torna-se cada vez mais urgente que as empresas assumam um papel mais ativo. É preciso uma mudança radical na escala e profundidade do seu envolvimento.

Nosso desafio está justamente em transformar metas globais – os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – em metas de negócios, incorporando o fator socioambiental em qualquer equação.

Os ODS nos unem em torno de questões importantes, desencadeando a cooperação e partilha de conhecimento, de uma forma sem precedentes.

Mas torna-se cada vez mais urgente que as empresas assumam um papel mais ativo. É preciso uma mudança radical na escala e profundidade do seu envolvimento. Atualmente, as empresas têm o poder de mudar o status quo ajudando o setor público a dar uma resposta às necessidades sociais não atendidas. Têm o poder de intervir e resolver os transtornos que afetam a sociedade, como por exemplo, alterando as suas práticas e mobilizando o seu marketing para fazer avançar as normas sociais e o comportamento das pessoas.

E, porque acreditamos que as empresas representam uma força de mudança poderosa para resolver os problemas socioambientais da atualidade, queremos ajudar as marcas a encontrar o seu propósito e tornarem-se Positive Brands. Neste sentido, propomo-nos a desenvolver ferramentas multistakeholder que visam estabelecer um novo contrato social para uma transição mais justa, equitativa e sustentável.

Para finalizar, pode nos contar um pouco sobre os trabalhos que a Sustainable Society Initiative têm realizado e o impacto gerado a partir deles?

Particularmente, por causa da pandemia, estamos envolvidos em projetos públicos, tais como a criação de uma moeda solidária para lidar contra a crise, ferramenta de ação para os setores público e privado para responder aos desafios em matéria de sustentabilidade ligados ao covid, etc. Como são projetos que estão em suas fases iniciais ou ongoing, só vamos poder perceber e medir o impacto daqui a uns meses.

É uma aventura bastante desafiante e cativante. Há muito para fazer na área da sustentabilidade aqui em Portugal, tanto em termos de oportunidades como desafios. 


À Charlotte e toda equipe da Sustainable Society Initiative, nosso agradecimento pelas respostas. Certamente vamos querer vocês aqui de volta para que nos contem mais sobre o que têm feito e os resultados dessas e outras ações relacionadas à missão de criar Positive Brands.