“No auge do meu desespero tentando colocar meu filho para dormir, eu apelei pro Google e digitei: Como colocar uma criança de 4 anos para dormir? Naquela madrugada, fui até a quinta página do Google e não encontrei nenhuma matéria ou artigo que falava comigo, PAI. Só com as mães.” Foi assim, a partir de uma experiência absolutamente pessoal, que surgiu a 4daddy, uma plataforma de produção de conteúdo e conhecimento sobre Parentalidades e Masculinidades.

A 4daddy discute parentalidades e masculinidades com os homens

Quem nos conta um pouco mais sobre a empresa e o impacto que ela tem gerado é Leandro Ziotto, pai Afetivo do Vini, em mais uma conversa da nossa sessão Construindo Futuros Coletivos.

Leandro, vamos começar do começo. Como você chegou nesse tema de Parentalidades e Masculinidades e na ideia de criar a 4daddy?

Exercer a paternidade, criar o Vini, foi, ainda é, e talvez sempre será, a minha maior reforma íntima, Uma reforma que nunca acabará. E desde então comecei a questionar todas as nossas formas e relações humanas, sociais, familiares, de consumo e de trabalho. Acredito que ser pai é muito mais do que um ato afetivo, é um ato social e um ato político. Exercer a nossa parentalidade (o ato de paternar e maternar) é uma das funções mais importantes do mundo. Pois é através dela que perpetuaremos os impactos negativos que fazemos hoje, ou podemos romper com tudo isso, e buscar uma nova forma, mais sustentável e inovadora de viver.

Leandro e Vini

A 4daddy nasceu numa terça feira, às 4 horas da manhã. No auge do meu desespero tentando colocar meu filho para dormir, apelei pro Google e digitei: “Como colocar uma criança de 4 anos para dormir?”. Naquela madrugada, fui até a quinta página do Google e não encontrei nenhuma matéria ou artigo que falava comigo, PAI. Só com as mães. A partir daí é que fui entendendo como o machismo estrutural afasta o homem da mágica de criar seus filhos ou filhas, e sobrecarrega as mães. Comecei então a estudar sobre Paternidades e Paternagens, e não tive como escapar do tema Masculinidades. Isso porque antes de sermos pais, somos homens, e a forma como performamos a nossa masculinidade tem impacto direto na nossa paternidade. De lá para cá já são 4 anos. 

E como a 4daddy atua?

Acreditamos que quaisquer programas ou ações sobre igualdade de gênero ou diversidade e inclusão, serão “mancos” ou ineficientes se não incluir os homens na conversa.

A 4daddy é uma plataforma de produção de conteúdo e conhecimento sobre Parentalidades e Masculinidades. Nossa é missão é sensibilizar as empresas sobre a necessidade de desenvolver programas e ações que falem com os HOMENS. Acreditamos que quaisquer programas ou ações sobre igualdade de gênero ou diversidade e inclusão, serão “mancos” ou ineficientes se não incluir os homens na conversa. Pois irão empoderar as mulheres, que é fundamental, mas os homens que interagem com elas, continuarão sendo os obstáculos.

Então oferecemos um trabalho de consultoria onde, a partir do entendimento das demandas, desenvolvemos em parceria com as empresas contratantes ações que articulem os homens, gerando engajamento e transformação social. E, com isso, também, impactando positivamente o ambiente de trabalho e a produtividade da empresa, melhorando a qualidade de vida do colaborador e o desempenho financeiro. 

Temos também nosso produtos de prateleira: palestras, painéis de debate, formação de rodas reflexivas mediadas, Talks, workshops, oficinas e também trilhas com experiências de aprendizagem sobre os temas Parentalidades e Masculinidades.

Todas as ações hoje têm sua versão presencial e também sua versão digital/virtual. Nosso mais novo produto é o Curso EAD (Ensina à Distância) P.A.I., que pode ser oferecido para os homens que estão a espera dos seus filhos ou filhas ou que já são pais. O curso contempla toda a jornada do pai, desde a gravidez até os primeiros dias de vida do bebê, passando por outros temas que acreditamos serem fundamentais para sua formação como: masculinidade saudável, comunicação não violenta, Educação Positiva, igualdade de gênero e Diversidade, atividades domésticas, competências socioemocionais, entre outras.

Esse trabalho junto às empresas é nosso principal modelo de negócio, pois acreditamos na força das empresas para que sejam possíveis a mudança de hábitos e as rupturas culturais na sociedade. Atuamos ainda em outras duas frentes: junto à sociedade civil produzindo conteúdo relevante, e junto ao poder público, com advocacy, articulando políticas públicas. 

Como o trabalho da 4daddy está impactando o mundo?

Em 2019, impactamos mais de 50 mil pessoas com nossas ações e conteúdos, produzidos nos mais variados formatos. Com rodas reflexivas mediadas por nós, por exemplo, impactamos mais de 200 homens em conversas sobre a busca de uma masculinidade saudável e de uma paternidade possível e participativa. Além disso, mais de 800 pessoas participaram de nossos painéis e mais de 3 mil pessoas foram impactadas pelas nossas palestras.

Participamos da aprovação de duas políticas públicas junto com a Prefeitura de SP: A lei do fraldário no banheiro masculino e a extensão da licença paternidade do servidor público municipal, o que gerou, inclusive, nosso primeiro contrato com o poder público. Mais tarde, tivemos a Prefeitura de SP como nossa primeira cliente com relação ao nosso curso EAD sobre Paternidade. Em 2019, ainda, participamos da produção do Relatório da Situação da Paternidade no Brasil, com a ONG ProMundo, e participamos de mais de 15 eventos sobre Primeira Infância, Negócios Sociais, Impacto Social, Políticas Públicas e etc.

A partir desse trabalho, qual é a mudança que você deseja? Que tipo de futuro você deseja construir a partir da discussão sobre parentalidades e masculinidades? E qual você diria que é o maior obstáculo, hoje?

Atuamos para a construção de uma sociedade parental. uma sociedade que saberá cuidar dos seus próprios filhos, dos filhos dos outros e dos filhos de ninguém. Uma sociedade cuidadora!

Hoje, o maior desafio é também nossa maior missão: gerar transformação social no HOMEM, imerso na cultura do machismo estrutural.


Desafiador, sem dúvida, mas que bom saber que existem pessoas e empresas abraçando a empreitada de discutir Parentalidades e Masculinidades com os homens. Do nosso lado, todo o apoio para que vocês continuem com esse lindo trabalho e sejam bem sucedidos nessa missão!